Deixe um comentário Geral

Lote do PIS, de até R$ 998, é liberado para quem não tem conta na Caixa


Começa a ser pago hoje o nono e último lote do abono salarial do PIS/Pasep para quem trabalhou em 2017 e nasceu em maio e junho. O valor varia de R$ 84 a R$ 998, de acordo com o tempo trabalhado naquele ano.

Trabalhadores da iniciativa privada que têm conta na Caixa Econômica Federal recebem o dinheiro automaticamente hoje. A partir de quinta-feira (14), poderão sacar o dinheiro do PIS os trabalhadores que têm conta em outros bancos. Quem nasceu entre julho e abril já teve o saque liberado e continua podendo retirar o dinheiro.

 

Servidores públicos

Para os servidores públicos, será liberado na quinta-feira o pagamento para quem tem número de inscrição terminado em “8” e “9”.

Continua podendo sacar o dinheiro quem tem o número de inscrição no Pasep terminado entre “0” e “7”.

Prazo para todos termina em 28 de junho

O saque do abono salarial foi liberado aos poucos, conforme a data de nascimento (trabalhadores de empresas privadas) ou pelo número de inscrição no Pasep (servidores públicos). Os recursos do abono liberados ficarão disponíveis para saque até 28 de junho.

Quem perde o prazo de saque do abono salarial fica sem o dinheiro, que vai para o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). Porém, já houve casos de trabalhadores que conseguiram na Justiça o direito de receber o dinheiro após o fim do prazo.

Quem tem direito a sacar o abono?

  • quem trabalhou com carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2017
  • ganhou, no máximo, dois salários mínimos, em média, por mês
  • está inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos
  • é preciso que a empresa onde trabalhava tenha informado os dados corretamente ao governo

Como saber se tenho direito?

Para saber se tem direito ao abono salarial, é possível fazer a consulta das seguintes maneiras:

PIS (trabalhador de empresa privada):

  • no Aplicativo Caixa Trabalhador
  • no site da caixa (www.caixa.gov.br/PIS), clique em “Consultar pagamento”
  • pelo telefone de atendimento da Caixa: 0800 726 0207

Pasep (servidor público):

  • pelos telefones da central de atendimento do Banco do Brasil: 4004-0001 (capitais e regiões metropolitanas); 0800 729 0001 (demais cidades) e 0800 729 0088 (deficientes auditivos)
  • pelo telefone 158

Quanto é pago?

O valor pago é de até um salário mínimo (R$ 998 em 2019) e varia de acordo com o tempo que a pessoa trabalhou. Se ela trabalhou o ano todo, recebe um salário mínimo. Se trabalhou um mês, ganha proporcionalmente: 1/12 do salário mínimo.

Segundo o Ministério da Economia, os valores são arredondados para cima. Quem trabalhou por um mês, por exemplo, teria direito a R$ 83,17 de abono. Com o arredondamento, o trabalhador recebe R$ 84.

Onde é feito o saque?

  • Funcionários de empresa privada, com Cartão Cidadão e senha cadastrada: o saque pode ser feito em caixas eletrônicos da Caixa ou em lotéricas
  • Não tem o Cartão Cidadão? O saque é feito em uma agência da Caixa, com documento de identificação
  • É correntista individual da Caixa? O abono será depositado diretamente na conta, caso haja saldo acima de R$ 1 e movimentação
  • É servidor público? O saque é feito nas agências do Banco do Brasil, com documento de identificação. Servidores correntistas do banco recebem o dinheiro diretamente na conta. Mais informações sobre o Pasep podem ser obtidas pelo telefone do BB: 0800 729 0001.

Informações do site UOL


Deixe um comentário Geral

Adote um amigo: Cães e gatos em Jales esperam por um lar! Saiba como!


Por trás da Unidade de Zoonoses, mantida pela Prefeitura Municipal de Jales, animais resgatados por maus-tratos, abandonados ou que estavam com algum risco de doenças esperam por novos donos e lares. Apesar de não ter a função de abrigo, o local acolhe os bichos e faz a mediação para que eles encontrem um lar.

Atualmente, a Unidade de Zoonoses possui 23 gatos e 10 cachorros para adoção. Os animaizinhos disponíveis nestes locais contam com a vantagem de já estarem devidamente protegidos contra as doenças mais frequentes entre as zoonoses, e podem ser adotados com todas as vacinas necessárias administradas, castrados e desvermifugados.

Entre os cachorros e gatos, dos mais variados tamanhos e idades, a maioria não possui raça definida, e alguns já são adultos. O intuito da Zoonoses, entretanto, também é conscientizar a população para que ela não discrimine aqueles que não têm raça e os adote.

De acordo com o médico veterinário responsável pelo setor, Leonardo Aurélio Silva, a unidade existe para identificar e controlar doenças virais que sejam problemas de saúde pública, a exemplo da raiva e a leishmaniose, e que podem ser transmitidas de animais para seres humanos, além da prevenção de epidemias. “Quando resgatamos um animal, ele recebe todo tratamento que for necessário. Após recolhidos, os animais passam por testes e aqueles comprovadamente saudáveis são vacinados e colocados para adoção. Enquanto esperam por um dono, os bichos recebem alimentação e limpeza diária”, explica o médico veterinário.

“Só no ano passado, cerca de 30 cachorros e gatos foram adotados. Todos os animais são entregues em boas condições de saúde. É importante que o novo dono tenha consciência sobre a guarda responsável e dê bastante amor e carinho pra esses bichinhos”, completa Leonardo Aurélio.

Além dos cães e dos gatos, cavalos, morcegos, e macacos são assistidos regularmente pelo órgão. O local é dividido em sala de pré e pós- operatório, esterilização, área de coleta e armazenamento de sangue, almoxarifado, baia e canil.

COMO ADOTAR UM CÃO OU GATO?

Os interessados em adotar um animal devem comparecer a Unidade de Zoonoses que fica na Avenida Geraldo de Almeida, n° 1169 Jardim São Francisco de Assis (no fundo da antiga “Facip”), de segunda a sexta, das 9h às 16h. A pessoa deve apresentar os documentos pessoais e comprovante de residência para o preenchimento de um cadastro. O telefone para informações é o (17) 99611-54 91.

Quem quiser adotar um gato, já deve levar uma caixa apropriada para o transporte. Os que pretendem levar um cão devem estar munidos de coleira e guia.

No ato da adoção é avaliada a capacidade da família em suprir as necessidades do animal, garantindo seu bem estar. Os novos donos desses animais deverão exercer uma guarda responsável, que não implique em um novo abandono. Toda a adoção deve ser feita com muito critério e responsabilidade.

O adotante deve ser esclarecido que, ao adotar um animal, a pessoa será responsável por ele durante todo o período de sua vida, oferecendo abrigo compatível, alimentação, assistência veterinária e principalmente amor.

Nos primeiros dois meses após a adoção, responsáveis pela Unidade de Zoonoses farão o acompanhamento desses animais com visitas e todo auxílio que for necessário.Após este período, a assistência continua com a realização de exame de sangue, castração se o animal ainda não tinha idade apropriada e demais vacinas para proteção.


Deixe um comentário Geral

Vale voltou a acionar sirenes por mais uma barragem com riscos em Brumadinho


São Paulo – A companhia Vale voltou a acionar as sirenes de alerta neste domingo (27), ao detectar aumento dos níveis de água nos instrumentos que monitoram a barragem VI. Elas foram acionadas por volta das 5h30 da manhã de hoje. Os moradores que estavam na área foram retirados do local. Em comunicado, a Vale informou que foi detectado aumento dos níveis da água na região.

De acordo com a empresa, a barragem faz parte do complexo de Brumadinho. As autoridades foram avisadas e os moradores retirados do local. Como medida preventiva, a comunidade da região está sendo deslocada para os pontos de encontro determinados previamente pelo Plano de Emergência, segundo a empresa. Cerca de 24 mil pessoas estão sendo retiradas pelos bombeiros das áreas sob risco em Brumadinho (MG).

Uma representante do Movimento do Atingidos por Barragens (MAB) informou hoje por meio de vídeo no Facebook que a represa em questão contém de 3 milhões a 4 milhões de metros cúbicos de água, com 12 milhões de metros cúbicos de rejeitos despejados, e que sua instabilidade ameaça o centro de Brumadinho, além das comunidades rurais da região.

Segundo ainda nota divulgada pelo MAB, a lama do Córrego do Feijão, cuja barragem se rompeu na sexta-feira (25), pode chegar a 19 municípios, comprometendo o abastecimento de água de cerca de 1 milhão de pessoas.

Vítimas

Os últimos números divulgados sobre o crime ambiental da Companhia Vale do Rio Doce no Córrego do Feijão, na região metropolitana de Belo Horizonte, com a ruptura da barragem de rejeitos de mineração, dão conta de que até o momento foram resgatadas 366 pessoas, das quais 221 são funcionários da Vale e 145, terceirizados – 23 desse total estão hospitalizados.

O governo chegou a informar que o número de mortos subiu para 40, porém a informações foi retificada – e foi mantido o número de 37 mortos. As buscas por sobreviventes foram suspensas às 20h de ontem (26) e retomadas às 4h deste domingo.

Por Rede Brasil Atual 


Deixe um comentário Geral

Decreto estabelece que candidatos com deficiência farão provas físicas de concursos sem adaptação


Por Marta Cavallini, G1

Decreto publicado no “Diário Oficial da União” desta quarta-feira (31) exclui a previsão de adaptação das provas físicas de concursos públicos para candidatos com deficiência e estabelece que os critérios de aprovação poderão seguir os mesmos que são aplicados aos demais candidatos.

Com a divulgação do decreto nº 9.546, o decreto nº 9.508, de 24 de setembro de 2018, passa a vigorar com as seguintes alterações:

III – a previsão de adaptação das provas escritas e práticas, inclusive durante o curso de formação, se houver, e do estágio probatório ou do período de experiência, estipuladas as condições de realização de cada evento e respeitados os impedimentos ou as limitações do candidato com deficiência;

IV – a exigência de apresentação pelo candidato com deficiência, no ato da inscrição, de comprovação da condição de deficiência nos termos do disposto no § 1º do art. 2º da Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015, sem prejuízo da adoção de critérios adicionais previstos em edital;

V – a sistemática de convocação dos candidatos classificados, respeitado o disposto nos § 1º e § 2º do art. 1º; e

VI – a previsão da possibilidade de uso, nas provas físicas, de tecnologias assistivas que o candidato com deficiência já utilize, sem a necessidade de adaptações adicionais, inclusive durante o curso de formação, se houver, e no estágio probatório ou no período de experiência.”

§ 4º Os critérios de aprovação nas provas físicas para os candidatos com deficiência, inclusive durante o curso de formação, se houver, e no estágio probatório ou no período de experiência, poderão ser os mesmos critérios aplicados aos demais candidatos, conforme previsto no edital.”

5% das vagas reservadas

O decreto nº 9.508 reserva às pessoas com deficiência percentual de cargos e de empregos públicos ofertados em concursos públicos e em processos seletivos no âmbito da administração pública federal direta e indireta.

Entre as normas estão a reserva às pessoas com deficiência de, no mínimo, 5% das vagas oferecidas para o provimento de cargos efetivos e para a contratação por tempo determinado, e a igualdade de condições com os demais candidatos no que diz respeito ao conteúdo das provas, avaliação e critérios de aprovação, horário e local de aplicação das provas e nota mínima exigida para os demais candidatos.

Assim, com a alteração, a igualdade de condições também fica estendida para os critérios de aprovação nas provas físicas.

O decreto estabelece ainda que órgão responsável pela realização do concurso ou processo seletivo terá a assistência de equipe multiprofissional composta por três profissionais capacitados e atuantes nas áreas das deficiências do candidato, dentre os quais um médico, e três profissionais da carreira a que concorrerá o candidato.

Essa equipe multiprofissional emitirá parecer que observará as informações prestadas pelo candidato no ato da inscrição; a natureza das atribuições e das tarefas essenciais do cargo, do emprego ou da função a desempenhar; a viabilidade das condições de acessibilidade e as adequações do ambiente de trabalho na execução das tarefas; a possibilidade de uso, pelo candidato, de equipamentos ou de outros meios que utilize de forma habitual; e o resultado da avaliação.

No anexo do decreto, são elencadas as tecnologias assistivas e adaptações para a realização de provas em concursos públicos e em processos seletivos, sem prejuízo de adaptações razoáveis que se fizerem necessárias.

Ao candidato com deficiência visual:

  • prova impressa em braille;
  • prova impressa em caracteres ampliados, com indicação do tamanho da fonte;
  • prova gravada em áudio por fiscal ledor, com leitura fluente;
  • prova em formato digital para utilização de computador com software de leitura de tela ou de ampliação de tela; e
  • designação de fiscal para auxiliar na transcrição das respostas.

Ao candidato com deficiência auditiva:

  • prova gravada em vídeo por fiscal intérprete da Língua Brasileira de Sinais – Libras, nos termos do disposto na Lei nº 12.319, de 1º de setembro de 2010, preferencialmente com habilitação no exame de proficiência do Programa Nacional para a Certificação de Proficiência no Uso e Ensino da Libras e para a Certificação de Proficiência em Tradução e Interpretação da Libras/Língua Portuguesa – Prolibras; e
  • autorização para utilização de aparelho auricular, sujeito à inspeção e à aprovação pela autoridade responsável pelo concurso público ou pelo processo seletivo, com a finalidade de garantir a integridade do certame;

Ao candidato com deficiência física:

  • mobiliário adaptado e espaços adequados para a realização da prova;
  • designação de fiscal para auxiliar no manuseio da prova e na transcrição das respostas; e
  • facilidade de acesso às salas de realização da prova e às demais instalações de uso coletivo no local onde será realizado o certame.

    Por Marta Cavallini, G1